Plano de SaúdeCasa de Saúde | São João de Deus | São Paulo - SPLar São João de Deus | Petrópolis-RJ Casa da Hospitalidade | Ap. Taboado - MS Ordem Hospitaleira Escola de Enfermagem

 

 

Notícias
Clique aqui
Hospital São João de Deus
 
Resultado de Exames
   
Fale conosco
Infinite Menus, Copyright 2006, OpenCube Inc. All Rights Reserved.
Hospital São João de Deus
HSJD

Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviço de Saúde (PGRSS) do Hospital São João de Deus (HSJD)

 

O Hospital São João de Deus presta assistência médico-hospitalar a uma população de aproximadamente 1.220.000 habitantes. Oferece serviços de ações básicas (ambulatoriais) a procedimentos de alta complexidade (cirurgias, transplantes). Possui aproximadamente 1400 colaboradores, para atendimento 24 horas e conta com 400 leitos. Gera cerca de 600 kg de resíduos de serviços de saúde diariamente.

 

Resíduo de serviços de saúde (RSS) é o produto residual resultante de atividades exercidas por estabelecimentos de saúde. A sua peculiaridade pode determinar riscos à saúde pública e ao meio ambiente quando inapropriadamente tratado, armazenado, transportado e destinado.

 

O Plano Geral de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (PGRSS) do Hospital São João de Deus consiste no documento que consta o conjunto de atividades técnicas e administrativas aplicáveis ao manejo dos resíduos sólidos para a minimização de geração destes resíduos, bem como à sua segregação, coleta, manuseio, tratamento, acondicionamento, transporte, armazenamento e destinação final e a proteção à saúde pública. O objetivo geral deste plano é aperfeiçoar o gerenciamento dos resíduos gerados no hospital, com vistas a preservar a saúde pública e a qualidade do meio ambiente.

 

O Plano de Gerenciamento de RSS visa adequar o estabelecimento conforme determina a resolução RDC ANVISA 306/2004, CONAMA 358/2005, normas técnicas, legislação pertinente e outras resoluções, além de:

 

  • Melhorar as medidas de segurança e higiene no trabalho;

     

  • Reduzir o número de acidentes de trabalho, especialmente com perfurocortantes;

     

  • Proteger a saúde e o meio ambiente;

     

  • Conscientizar os colaboradores e terceirizados da instituição quanto à importância da segregação correta dos resíduos;

     

  • Reduzir o volume e a massa de resíduos perigosos, resíduos infectantes e perfurocortantes;

     

  • Substituir, se possível, os materiais perigosos;

     

  • Reduzir o número de infecções;

     

  • Reciclar a maior quantidade possível de resíduos do grupo D.

     

 

Para a elaboração, implantação e acompanhamento do gerenciamento de resíduos sólidos da instituição foi constituída uma comissão permanente, composta por 10 membros, dos mais diversos setores: Edivania Andrade Teixeira, enfermeira , Amanda Canedo Santos, técnico de Segurança do Trabalho, Raquel Natividade dos Santos, enfermeira do Setor de Quimioterapia Ambulatorial, Fátima Helena dos Santos, coordenadora do Serviço de Higienização, Ana Cristina Teixeira Gomes Tavares, Enfermeira RT do SCIH, Anderson Sales de Oliveira, Supervisor do Almoxarifado, Maria da Conceição Aparecida Lacerda, coordenadora do Serviço de Processamento de Roupas (SPR), Regina Consolação dos Santos, enfermeira coordenadora do Setor Térreo, Thiago Moreira de Sousa, farmacêutico supervisor da Farmacotécnica e Nefrologia, Leamar Aparecida Carvalho, coordenadora do Serviço de Higienização e Limpeza (SHL)

 

Para o correto acondicionamento dos resíduos gerados em todos os setores da instituição, as lixeiras são identificadas com simbologia adequada e os sacos para acondicionamento dos resíduos possuem cores específicas, conforme RDC 306:

 

I – saco azul transparente - PAPÉIS

II – saco amarelo transparente - METAIS

 

III – saco verde transparente - VIDROS

 

IV – saco vermelho transparente - PLÁSTICOS

 

V – saco marrom transparente - RESÍDUOS ORGÂNICOS

 

VI – branco leitoso - INFECTANTE E PERFUROCORTANTE

 

VII – saco cinza transparente - RESÍDUO COMUM NÃO RECICLÁVEL

 

VIII – preto - RESÍDUO DE JARDINAGEM

 

IX – saco laranja transparente – RESÍDUO QUÍMICO

 

 

A coleta e transporte externo dos resíduos não recicláveis é realizada por empresa habilitada, conforme acordo com a Prefeitura Municipal, já a coleta e transporte externo dos resíduos recicláveis é realizada por empresa habilitada, conforme contrato firmado pela instituição. Usamos a logística reversa para destinação adequada das lâmpadas fluorescentes e pilhas.

 

Para a efetiva implantação do PGRSS em nossa instituição, a comissão organiza treinamentos periódicos, com o objetivo de oferecer conhecimento sobre o Gerenciamento de Resíduos e informar os procedimentos adotados pelo HSJD para esta prática e sua manutenção nas dependências da instituição.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Última Edição julho/2012

  Saiba mais:

 

 

 

 

Voltar Imprimir Voltar
 
   
Clique aqui! Clique aqui!